A volta do jeans e a nossa relação com ele.

November 22, 2016

 

 

 

Inicialmente usado por marinheiros da cidade de Gênova, de onde vem o principio do nome "gene", o jeans foi popularizado nos Estados Unidos, fabricado para ser um tecido resistente a ser usados por homens que necessitavam uma roupa que não rasgasse quando submetida a grandes atritos, como em minas de carvão e ferrovias. Aos poucos as calças e macacões feitos de jeans se popularizaram, caindo no gosto da juventude da década de 1970 de onde, nunca efetivamente saiu, mas de tempos em tempos ele volta a ser a estrela das passarelas e marcar presença no dia a dia em  outras formas além da básica e versátil calça.

 

 

 

Ele demorou para chegar ao Brasil, no final da década de 1970 existiam algumas marcas nacionais, mas as importadas, grande sonho de consumo dos mais novos, vinha apenas dos EUA, o que, acredito eu, causa o fenômeno do pouco uso de peças nesse estilo por pessoas mais velhas, salvo aqueles que tiveram a oportunidade de usá-lo em serviço e puderam comprovar o seu conforto e versatilidade. 

 

 

 

Mesmo com esse delay o brasileiro se apaixonou  por ele e hoje é difícil, se não impossível, encontrar um que não possua pelo menos um par de calças jeans no armário. E é entre as brasileiras que vemos o maior apego a peça, principalmente aplicando-o a uma finalidade bem especifica que é a de modelar o corpo. Embora o Brasil seja um país de muita diversidade é senso comum que a mulher do nosso pais costuma ser mais curvilínea e gosta disso, gosta muito, por conta disso usa de diversos recursos para acentuar essa característica, e o jeans vem como um grande aliado nessa tarefa. Isso faz com que a peça não vista ela e sim ela se submeta a ele, as modelagens que ele faz, comprimindo, arrebitando, ajeitando, acentuando, todos os aspectos que esse mulher queira e mesmo "espremida" dentro dele, é assim que ela se sente mais confortável e bonita.

 

Claro que toda essa funcionalidade dele não são só rosas,  como costumam ser peças muito apertadas, elas prejudicam a circulação das pernas, agravando quadros de celulite, superaquecendo a região intima, que, nas mulheres pode piorar quadros infecciosos e intensificar, até mesmo causar corrimento, colaborando na proliferação de bactérias. Nos homens as calças não costumam ser tão justas, principalmente na área genital, mas quando são, o uso prolongado causa superaquecimento que pode levar a infertilidade em casos mais extremos. Então usemos, modelemos, mas sempre com cuidado, intercalando com outros modelos mais leves, para o bem da nossa saúde. 

 

 

Esse ano vivemos o grande revival dele, esteve presente em várias passarelas, vê-se na rua com uma frequência ainda maior, camisas jeans estão em todas as lojas, a grande estrela desse ano foi o modelo destroyed, que consiste em uma calça nova estrategicamente rasgada e desfiada, no verão o shorts jeans, principalmente seguindo essa tendência destruída com certeza deve ser visto em todos os lugares. Uma peça que voltou completamente repaginada, resgatada lá de 2001, outra época que o look full jeans esteve em alta (vale lembrar o icônico, porém não muito bonito, full jeans da britney spears e do Justin Timberlake no VMA de  2001),é o paleto e o blazer jeans, ele volta, geralmente, em índigo, com uma modelagem bem slim, assemelhando-se aos modelos de alfaiataria, mas com um quê descontraído, ideal para quem quer ficar mais arrumado sem abrir mão da personalidade.

 

                           (pra a gente lembrar do que nunca mais usar!!!!!! full jeans assim fica lá em 2001 mesmo, temos vestidos e paletos jeans mais bem pensados hoje!)

 

Quando falamos de calça jeans, temos uma variedade enorme de cortes e cada um valoriza um tipo de corpo, passa uma mensagem, a escolha dessa mensagem, a escolha desse modelo vai sempre depender do que você quer passar pro mundo. e isso dá tanto pano pra manga, que vou fazer um post só sobre isso! Por hora me diz o que achou de saber um pouco sore a historia e as tendências, bacana né? usamos tanto ele e quase nunca paramos pra pensar nessas coisas!

 

 

(Todas as imagens foram retiradas do google imagens e não tem vinculo intelectual com esse blog)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload