Tie Dye, do hippie ao dia a dia

October 24, 2016

 

Tie Dye é uma técnica de tingimento milenar, os registros mais antigos datam do séc XI no japão, mas existem registros oriundos da Àfrica, tão antigos quanto. O seu auge na moda foi na déc de 1960/70 quando foi altamente promovido por estrelas do rock como Janis Joplin e Joe Cocker. Na época, o movimento hippie estava no auge e a estampa acabou tornando-se um simbolo desta época, sendo vista assim até hoje.

 

 

 

Se por muito anos foi dificil imaginar essa estamparia em peças de alta moda e sendo aplicada a tecidos finos e bem cortados, isso hoje é algo próximo da realidade. Marcas como Valentino já utilizam dessa técnica em suas coleções pret-a-porter, com releituras modernas e diferenciadas.

 

 

 

 

 

Mas como efetivamente aplicar isso no dia a dia?

O segredo está em trabalhar a harmonia e o equilibrio do visual, o tie dye é a estrela nesse momento, ou seja, todas as outras peças devem trabalhar a favor dele, peças lisas com texturas opacas ou mais discretas são as ideais.

É importante  criar uma identidade nas cores também, a principal peça da estampa deve estar presente, de forma lisa, na outra peça que complementa a composição, por exemplo: a estampa é formada de vermelho, branco e azul, mas a cor principal é o azul, se for uma camisa, a saia ou calça deve ser em cor azul. Assim cria-se uma unidade e transmite-se a sensação de harmonia nesse conjunto.

Outro ponto que assegura o sucesso é manter-se em tons e cores que estejam na sua paleta e favoreçam suas cores naturais de pele, olhos e cabelo, atentando-se sempre a esse fato, a roupa vestirá você valorizando cada traço natural seu.

 

 

 

(Todas as imagens foram retiradas do google imagens e não tem vinculo intelectual com esse blog)

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload